Sustentabilidade


A sustentabilidade não é uma estação à qual chegamos, mas uma maneira de viajar!



 

Assim como a sustentabilidade, a felicidade tem que estar presente em nossas vidas desde o nascimento até o fim de nossa viagem aqui na terra, temos de ser felizes no caminho, não apenas no ponto final.

 

Nos dias de hoje, as empresas modernas que se preparam para o 3º milênio, são aquelas que saem na frente e investem na preservação do Meio Ambiente, pois tem a consciência que sem um desenvolvimento sustentável não haverá futuro.

A Gestão Ambiental não implica necessariamente em conflito entre preservação ambiental e negócios, pelo contrário, essa cria novas oportunidades de negócios, seja no acesso a novos mercados ou em relação à redução de custos com desperdícios.

 

Preocupa a forma que vem sendo apresentada pelas empresas e mídia sobre o que é Sustentabilidade, a sensação é que todas as empresas já chegaram na "Estação Sustentabilidade”.


Vem acontecendo assim, o departamento de marketing foi encarregado para determinar as estratégias sobre a "Sustentabilidade” e a maioria das empresas colocou a "Estação Sustentabilidade” na saída do percurso.

 

Desta forma esta parecendo que todas as empresas são sustentáveis, seria ótimo se fosse realidade, mas não é, e estamos muito longe da sustentabilidade.

 

O lado positivo é que as empresas já deram a saída e não tem volta, pois, agora chegou à hora de encontrar uma maneira de viajar de forma sustentável, não só com seu "trem” pintado de verde.

Vinte anos se passaram da Eco92, depois disso vieram o Tratado de Kyoto,Copenhague,Davos e Rio +20, as grandes nações, incluindo o Brasil, não assumem e não diminui suas emissões de gases do efeito estufa.

 

Aumentaram-se as emissões de gases trazendo para o presente catástrofes relativas às mudanças climáticas.

O Brasil continua a ser o "Campeão Mundial de Desmatamento”, sendo os Estados que mais desmataram nos últimos anos foram a Amazônia, Mato Grasso, Para, Rondônia, Tocantins, Minas Gerais, Bahia e Maranhão, sendo o governo o responsável em fiscalizar e reprimir as áreas desmatadas.

 

Nas eleições os políticos fazem promessas ambientais, mas continuamos a assistir nos programas de TV, os rios transbordando causando enchentes, as encostas do Rio de Janeiro matando muita gente, chuvas em excesso no centro oeste e seca no Sul, os transportes públicos nas grandes cidades estão entrando em colapso, temos uma frota de 20 milhões de veículos no estado de São Paulo.

O metro que é uma solução para redução das emissões de gases não recebe a atenção a exemplo do descaso brasileiro, a cidade de Xangai, que começou a construir o metrô depois de São Paulo, já tem 420 Km, enquanto São Paulo tem apenas 72 km.

 

Há décadas pagamos nossa conta de água da seguinte forma: (10m³ água/10m³ esgoto), mesmo sendo impossível sair à mesma quantidade que entrou, afinal lavamos roupa, cozinhamos, molhamos o jardim e etc, ou seja, pagamos para que seja tratado nosso esgoto, mas nossos rios e lagos em parques continuam poluídos, se pagamos por esse serviço porque ele não é executado?
Quem esta enganando ou esta sendo enganado? Todos, pois mesmo quem engana será vitima das mudanças climáticas.



 

 


Terra, planeta água, até quando?

 

Até quando o planeta suportará nossos lixos, resíduos industriais e a ganância humana na exploração dos últimos recursos naturais.

 

A produção diária de lixo só das residências no planeta são de10 milhões de toneladas. Para terem uma idéia desta quantidade de lixo, se colocássemos este lixo em caminhões e enfileirássemos um caminhão atrás do outro daria para dar duas voltas no planeta, quanto tempo o homem vai precisar para entender que a sustentabilidade tem de ser na prática.

A reciclagem no Brasil é muito mais perto do zero do que da sustentabilidade e se fossem retirados os "carroceiros” das ruas poderiam dizer que é praticamente nula, somos os recordistas em reciclagem de latas de alumínio no planeta, não por consciência e sim em função da pobreza e observem se algum catador enche sua carroça de embalagens PET ou longa vida.

Por onde começar?

 

Já começamos! Temos uma legislação ambiental de primeiro mundo, só falta ser cumprida. Pois nossa justiça é "cega”, por muitas vezes muda, surda e sempre lenta, mas temos de continuar acreditando na justiça.

Para as empresas a sugestão é que a sustentabilidade entre pelo RH (Recursos Humanos), "as empresa não são paredes e maquinas, são pessoas”, que precisam participar de capacitações ambientais com ações de sensibilizações.

O ser humano é um ser de ação e reação, e é capaz de transforma-se e de transformar a sua realidade.

A Educação Ambiental está baseada principalmente na participação, pois participando aprende-se a exercer o direito à cidadania.

 

A intensidade do aprendizado não ocorre apenas através de experiências externas, mas principalmente através da intensidade da emoção vivida durante a experiência. O ser humano não aprende somente pela razão (fatores externos), ele aprende também através da emoção (fatores internos).

O papel de uma atividade de sensibilização é despertar a emoção para um melhor aproveitamento da informação transmitida, podendo ser trabalhada em qualquer área e nas mais diferentes categorias.

 


A participação em ações sociais resgata valores humanos como solidariedade, ética, respeito pela vida, responsabilidade, honestidade, amizade, altruísmo e democracia entre outros.

 

A tarefa da redescoberta dos valores e da busca de novos valores que tornem a sociedade mais humana, mais justa, é de todos.

 

Assim sendo, um dos principais objetivos da Educação Ambiental consiste em permitir que os seres humanos compreendam a natureza complexa do meio ambiente resultante de suas interações, levando-o a promover uma ação reflexiva e prudente dos recursos naturais.

A Educação Ambiental favorece uma participação responsável nas decisões de melhoria da qualidade do meio natural, profissional, social e cultural.

 

Atividades de Educação Ambiental possibilitam aos participantes a oportunidade para desenvolver uma sensibilização a respeito dos seus problemas ambientais, além de propiciar uma reflexão a respeito e a busca por formas alternativas de soluções.

 


As atividades de sensibilização são um caminho para tornar as pessoas conscientes de quão importantes são as suas atitudes e de como elas refletem e o que se atrai no dia-a-dia de suas vidas.

 

Se cada indivíduo estiver conscientizado sobre qual atitude tomar diante de certas situações, estará usando plenamente o seu potencial criativo e respondendo com inteligência aos desafios e propostas que se apresentem.

As atividades de sensibilizações serão um elo de união consciente entre o ser humano e o ambiente onde vive seja ele composto de elementos naturais ou de objetos inventados pelo homem, com ajuda da natureza e seus construtores, e de todas as pessoas e seres que compartilhem de um mesmo planeta.

 

Somos todos cidadãos do mundo e moramos na mesma casa, planeta terra.

Uma das minhas missões é contribuir para que outras pessoas entendam que podem contribuir para alcançarmos a sustentabilidade.

 

Carlos Cunha, Presidente da Companhia Ecológica Projetista ambiental, consultor, Especialista em Capacitação Ambiental, Atual Conselheiro do CONSEMA - Conselho Estadual de Meio Ambiente da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Conselheiro da Comissão de Infraestrutura, Logística e Desenvolvimento Sustentável da OAB-SP.