Reciclafruta


I- APRESENTAÇÃO
O projeto nasceu do desejo de oferecer aos jovens estudantes a possibilidade de contribuírem de forma direta e participativa para um desenvolvimento sustentável, em benefício próprio, da comunidade e do planeta em que vivem. A educação ambiental desenvolve uma consciência ética sobre todas as formas de vida, com as quais compartilhamos este planeta. Respeitar os ciclos vitais e impor limites à exploração dessas formas de vida.

II-INTRODUÇÃO – Educação Ambiental e Eco-Pedagogia
A educação ambiental é um processo contínuo que possibilita ao indivíduo e à coletividade a conscientização sobre o meio ambiente e as condições em que vivemos. A reflexão crítica e a participação ativa e responsável, para melhoria do seu habitat, baseado no respeito a todas as formas de vida. Incentivar e promover o trabalho coletivo e a cooperação entre os alunos e os professores, entre a escola e a comunidade, para a transformação humana e social, alcançando a preservação e a recuperação do ecossistema.

 

II. 1- INTRODUÇÃO ao RECICLAFRUTA
O Projeto foi criado para ser aplicado de forma coletiva nas escolas, respeitando e correspondendo com os conhecimentos e conceitos que os alunos já possuem. Por isso, cada ciclo terá uma abordagem própria. Os alunos estão preparados e já demonstram interesse e um bom conhecimento sobre os problemas ambientais. Através do projeto os estudantes interagem e participam de forma ativa na recuperação do meio ambiente. O plantio coletivo resgata o referencial de cidadania e conduz ao exercício de auto-estima.

III – OBJETIVO
Desenvolver o conceito do ciclo vital da flora e a reprodução de árvores através de sementes.
O projeto tem como objetivo levar a capacitação popular ambiental, de forma teórica e prática, através de palestras de educação ambiental e do plantio de árvores nativas onde formaremos cidadãos capacitados a preservar e recuperar o meio ambiente. Na palestra aplicada, plantaremos uma semente de consciência ambiental no pensamento dos alunos, no plantio, semearemos no vaso sementes de árvores, a qual o aluno cuidará durante o período de um ano em sua casa, até que a semente transforme-se em uma muda de mais ou menos um metro de altura. Ao chegar nesta fase, uma terceira semente já estará dando frutos, a do amor à natureza no coração do aluno.

 

III. 1 – PÚBLICO ALVO
Estudantes das redes, pública e particular – REDE VERDE NA EDUCAÇÃO

 

IV - PROPOSTA
Nossa linha de atuação é a de realização com grande ênfase a positividade, na busca da interação do grupo de forma dinâmica, simples e objetiva. As ações visam estimular a participação coletiva e permitirá que os alunos interajam com o meio ambiente.

 

V – FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
O ser humano é um ser de ação e reação, e é capaz de transforma-se e de transformar a sua realidade. A Educação Ambiental está baseada principalmente na participação, pois participando aprende-se a exercer o direito à cidadania. 
A intensidade do aprendizado não ocorre apenas através de experiências externas, mas principalmente através da intensidade da emoção vivida durante a experiência. O ser humano não aprende somente pela razão (fatores externos), ele aprende também através da emoção (fatores internos). O papel de uma atividade de sensibilização é despertar a emoção para um melhor aproveitamento da informação que está sendo transmitida, e poderá ser trabalhada em qualquer área e nos mais diferentes níveis, sendo um processo educativo.
A participação em ações sociais resgata valores humanos como solidariedade, ética, respeito pela vida, responsabilidade, honestidade, amizade, altruísmo e democracia entre outros.
A tarefa da redescoberta dos valores e da busca de novos valores que tornem a sociedade mais humana, mais justa, é de todos.
Assim sendo, um dos principais objetivos da Educação Ambiental consiste em permitir que os seres humanos compreendam a natureza complexa do meio ambiente resultante de suas interações, levando-o a promover uma ação reflexiva e prudente dos recursos naturais. 
A Educação Ambiental favorece uma participação responsável nas decisões de melhoria da qualidade do meio natural, social e cultural.
Atividades de Educação Ambiental possibilitam aos participantes a oportunidade para desenvolver uma sensibilização a respeito dos seus problemas ambientais, além de propiciar uma reflexão a respeito e a busca por formas alternativas de soluções.
As atividades de sensibilização são um caminho para tornar as pessoas conscientes de quão importantes são as suas atitudes e de como elas refletem e o que se atrai no dia-a-dia de suas vidas. Se cada indivíduo estiver conscientizado sobre qual atitude tomar diante de certas situações, estará usando plenamente o seu potencial criativo e respondendo com inteligência e amor aos desafios e propostas que se apresentem.
Estas atividades serão um elo de união consciente entre o ser humano e o ambiente onde vive seja ele composto de elementos naturais ou de objetos criados pelo homem, com ajuda da natureza e seus construtores, e de todas as pessoas e seres que compartilhem de um mesmo planeta.

V. 1 – ACOMPANHAMENTO e AVALIAÇÃO
O acompanhamento e a avaliação são um instrumento de fundamental importância que oferece ao aluno e ao professor informações para que eles possam rever-se e localizar as causas de suas falhas, valorizar os pontos fortes de seu desempenho e com isso alcançar os objetivos.
A avaliação dos procedimentos poderá ser feita por meio de observações sistemáticas, ou seja, enquanto as atividades estão acontecendo e não apenas após a sua realização.

 

VI – JUSTIFICATIVA
A questão ambiental aparece como problemática social e ecológica de alcance planetário que permeia todos os âmbitos da organização social, os espaços e instrumentos de gestão e todos os grupos e classes sociais. A educação ambiental deve promover a cooperação e o diálogo entre indivíduos e instituições, com a finalidade de criar novos modos de vida, baseado em atender às necessidades básicas de todos, sem quaisquer preconceitos ou discriminações relativas à cor, raça, idade, religião, classe social, concepção político-partidária ou filosófica.

VI. 1 - PRINCIPIOS DA EDUCAÇÃO PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS
Proposta de trabalhos coletivos, interações, trocas, debates, leituras e situações-problema. Considerar as representações, os conhecimentos e os pontos de vista do professor. Criar estratégias didáticas para reflexão, experimentação e ação, a partir de conhecimentos antigos e novos. Estimular as trocas de informações, idéias e experiências. Incentivar o registro escrito das reflexões dos educadores. Estimular o compromisso com a auto formação.


 


VI. 2- Por que Plantar árvores nativas?
Árvore, uma verdadeira máquina, complexa e silenciosa, tem seu lugar na natureza e realiza muitas tarefas, são importantíssimas para o equilíbrio da natureza.
Diariamente, uma árvore com 10 metros de altura; absorve cerca de 250 litros de nutrientes que estão dissolvidos no solo, transportando-os até o mais alto de suas folhas; as folhas por sua vez, absorvem o gás carbônico (Co2), matéria bruta para a transformação dos sais minerais em carboidratos, e a luz do sol, da qual todo o sistema da árvore depende para se desenvolver. Este processo chama-se Fotossíntese: foto=luz, e síntese=colocar junto. Durante este processo, uma árvore de porte médio, libera aproximadamente 2 metros cúbicos de oxigênio puro. 
Todas as plantas funcionam como fábricas de matéria orgânica e produzem alimento para quase todos os animais sob a forma de raízes, folhas, flores, frutos e sementes. 
Calculou-se na Europa, que uma árvore de porte médio transpira o equivalente a 60 litros d’água por dia, aqui no Brasil um país tropical a transpiração é o dobro da umidade, que escapa pelas folhas na forma de vapor d’água e fica espalhada no ar, sendo que este vapor se mistura com as partículas de poeiras que flutuam no ar ficando cada vez mais pesadas devido ao acúmulo e caem no chão. Portanto as árvores são eficientes renovadoras de poeiras nas ruas. 
Uma árvore de porte médio tem o mesmo poder de resfriamento de (4) quatro máquinas de ar condicionado. 
Por isto, "as árvores podem refrescar muito uma rua, um bairro, uma cidade e uma nação”.
Assim como ocorre com as ondas de calor, também as ondas sonoras têm sua energia freada, quando se chocam com a barreira das árvores, ao bater nas folhas o som é em parte absorvido, e parte desviado de seu curso, tornando-se menos intenso ou sendo inteiramente eliminado. 
Não poderíamos deixar de mencionar outras importantes funções das árvores no meio ambiente tais como: 
Sua madeira que serve para fabricação de celulose, papéis, móveis e madeiras para construções; de suas folhas e raízes extraem-se óleos medicinais para fabricação de remédios e etc. 
Sua beleza, uma árvore é sempre bonita, o verde de suas folhas nos acalma, como é bom encontrar uma árvore quando o dia está muito quente.
A copa das árvores quebra o impacto das gotas de chuvas e ao mesmo tempo, o solo fica coberto por uma camada de folhas e galhos secos que caem das árvores formando um excelente adubo orgânico, sendo esta camada que se forma por cima do solo, como uma esponja, que absorve a água que cai devagar por entre as folhagens das copas. Esta água pode penetrar devagar na terra e alimentar as águas dos lençóis freáticos; 
Na beira dos rios, para protegê-los são as chamadas matas ciliares (o nome refere-se aos cílios, que protegem os nossos olhos), são as matas ciliares que ficam nas margens dos rios, sem elas, a vida dos rios corre perigo.
Ao plantarmos uma árvore, estaremos efetuando o "Seqüestro Legal de Carbono”, sendo as árvores o cativeiro do CO2, pois para a árvore se desenvolver ela necessita do CO2, o qual ela seqüestra do ar no processo de fotossíntese e ainda libera oxigênio puro, mas preste bem atenção à árvore passa a ser o cativeiro, se for cortada ou queimada, o CO2 será novamente liberado do cativeiro.
As árvores frutíferas têm um papel importante na alimentação de aves, insetos e morcegos que são agentes de polinização das flores e de dispersão das sementes de árvores nativas, ajudando a propagar as espécies vegetais num raio de muitos quilômetros e não são destinadas para o corte, e ainda servem de moradia para vários animais. 
Atualmente existe apenas uma árvore para cada 500 habitantes nas cidades em nosso planeta. 
As árvores são seres vivos que nascem, crescem, se reproduzem e morrem!

VII – PROJETO RECICLAFRUTA
RECICLAFRUTA = Reciclar é reutilizar, não desperdiçar.
A maioria das árvores se reproduz através dos seus frutos, que são "as sementes”.
Em uma única árvore de Ipê encontraremos mais de 50 mil sementes, que anualmente não são aproveitadas, normalmente caem no chão e vão para o lixo ou são levadas pelas águas das chuvas aos bueiros, por isso surgiu o RECICLAFRUTA, vamos aproveitar as sementes e transformá-las em árvores para serem plantadas nas cidades e no campo.

VII - RECICLAFRUTA - Material do aluno CUSTO ZERO


 


VII – 1 - MATERIAL DO ALUNO CUSTO ZERO

01 garrafa de refrigerante 2 litros tipo PET, cortada com 30 Cm de altura e com furos no fundo;
02 copos de terra;
01 copo de areia (Tamanho do Copo tipo requeijão 250 ML);
02 colheres (de sopa) de cinza da madeira (cinza de churrasqueira ou de forno de pizzaria e padarias)
02 Cascas de ovos moídas;
06 Palitos de sorvetes ou qualquer outro objeto no formato;
Sementes de árvores nativas como: Ipês, Pau Brasil, Pau ferro, Cedros, Uvaia, Jabuticaba, etc.

VII. 2 - Como aplicar o RECICLAFRUTA
Preparar o solo de forma coletiva em um espaço da escola, todos os alunos colocarão em um monte, os seus 2 copos de terra, e em outro monte, o copo de areia, deverá ainda, aos alunos que, por ventura, já trouxerem o material misturado colocarem num terceiro monte.
O coordenador do plantio deverá observar se o monte de terra é o dobro da areia para deixar o solo na escala de dois por um (2 copos de terra pra 1 copo de areia).

Após esta correção de medida entre terra e areia deverá ser misturado em um monte só todo o material.
É importante obedecer, com rigor à quantidade de cinza, nunca ultrapassando o limite, pois seria prejudicial à semeadura. 
Esta mistura homogênea de forma coletiva tem como objetivo corrigir de certa forma o solo, pois um aluno pode trazer uma terra muito Argilosa e outro uma terra muito Arenosa, a mistura coletiva é fundamental para que os alunos trabalhem em equipe, promovendo sua integração, aguçando os sentidos e a percepção dos participantes através do contato com elementos existentes no meio ambiente.
Após a mistura coletiva, cada aluno retirará 03 copos desta mistura e colocará na garrafa de refrigerante, já cortada com 20 cm de altura e com furos no fundo da garrafa para drenagem da água.
Após o plantio na escola, os alunos levarão as plantas para casa, sendo que estas deverão ser cuidadas até que as mudas estejam prontas e serem trazidas para escola, as quais serão replantadas em locais indicados pela Cia Eco. Importante não deixar as plantas expostas à luz solar direta, pois o sol "cozinhará” as sementes e não germinará.
No ecossistema, os organismos e o ambiente se integram promovendo trocas de materiais e energia através de cadeias alimentares e ciclos bioquímicos.Qualquer interferência em qualquer um desses elementos, positiva ou negativa, poderá ser sentida por todos os outros.



Dicas: Como semear:
Os tamanhos das sementes variam de espécie para espécie. Como regra, pode-se dizer que a cobertura com o solo ou a profundidade não deve exceder a 02 vezes o tamanho das sementes.
Cuidados iniciais com as mudas, ao notar a emergência das plantas. Após uma a duas semanas, transferir o recipiente num local bem claro, de preferência onde incida a luz solar no período da manhã evitando o sol da tarde ou deixar sob uma árvore, pois essas mudas são exigentes quanto à necessidade de luz.
Verificar diariamente se há necessidade de fazer irrigação.
Não esquecer de fazer uma boa rega, nunca encharcar.
Ao cozinhar legumes, a água do cozimento é jogada fora cheio de nutrientes, aproveite esta água, após esfriar molhe sua árvore com esta água rica em nutrientes, molhar sempre, mas não encharcar.
O adubo orgânico feito com talos de verduras tem que ser desidratados, ou seja, secos por um período de uma semana, se semear sem esse cuidado, as sementes poderão morrer, porque durante a fermentação ocorrerá o aquecimento do solo e produção de gases nocivos às sementes;
Recomendamos utilizar o adubo orgânico somente quando a planta for replantada.
Os palitos de sorvetes são para serem colocados nas bordas dos vasos na posição vertical para direcionar as raízes para o fundo do vaso, devem ser colocados na mesma distancia um do outro.


VIII- Blitz de capacitação
Mecânica da Equipe:
Cada equipe visita uma escola, implantando o Projeto Reciclafruta, plantando as três sementes e levando informações:

Plantar as três Sementes:
1º semente: Palestra de educação ambiental onde a 1º semente é plantada na consciência de cada aluno.
2º semente: Plantaremos as sementes de arvores nativas nos vasos dos alunos.
3º semente: Os estudantes cuidaram da planta por um período e poderão observar a semente brotar, sentirão neste momento a fantástica magia de gerar vida e com isso nascerá em seu coração o amor e respeito ao Meio Ambiente.

Projeto aprovado por mais de mil coordenadores pedagógicos das diretorias de ensino da Rede Publica Estadual que participaram de capacitação feita nas dependências das Diretorias de Ensino Leste e Centro Oeste.